Associação dos Ruandeses Refugiados em Moçambique submeteu, ontem, à Procuradoria-Geral da República o caso do desaparecimento de Ntamuhanga Cassien. O jornalista ruandês que está exilado em Moçambique desde 2017 terá sido supostamente raptado a 23 de Maio na ilha Inhaca província de Maputo.

“Decidimos submeter o caso à PGR e o nosso advogado esteve lá hoje (1 de junho). Esta é a maneira que nós temos de fazer pressão sobre as autoridades para que se localize o Ntamuhanga Cassien”, disse à agência de notícias Lusa, o porta-voz da associação, Cleophas Habiyareme.

Ntamuhanga Cassien deixou o seu país de origem por sofrer perseguição política por ter abordagens críticas a Paul Kagame, o actual presidente ruandês.

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here