A organização não-governamental, Centro Para Democracia e Desenvolvimento (CDD), defende que o plano de vacinação contra a covid-19 deve ser divulgado o mais rápido possível.  Ontem o país recebeu da República Popular da China 200 mil doses de vacinas da Sinopharm e além do pessoal de Saúde, não se sabe que outro grupo poderá se beneficiar da vacina. Para o Forúm de Monitoria do Orçamento (FMO) é necessário incluir os vários actores na discussão do plano de vacinação, incluindo as organizações da Sociedade Civil, pois o direito a saúde é de extrema importância para a população moçambicana.

O FMO sugere que, depois do pessoal de Saúde ser imunizado, os profissionais que prestam serviços a comunidade devem ter prioridade, os professores, bombeiros, agentes de Força de Defesa e Segurança e profissionais que trabalham com o atendimento ao público.

Um outro factor que o CDD explora em seu artigo, é a necessidade do governo discutir sobre a aquisição de mais doses de vacinas, além das que a iniciativa Covax irá disponibilizar.

A iniciativa da Covax somente irá disponibilizar entre Maio e Junho um lote de seis milhões de vacinas que possibilita a imunização de 20% da população.

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here